História dos Barcos Rabelos

Há séculos que os Barcos Rabelos navegam nas águas do Rio Douro, outrora bem mais agitadas do que nos dias de hoje. Esta embarcação, de fundo chato, foi propositadamente construída para navegar em águas turbulentas e tinha capacidade para transportar até 100 barris de Vinho do Porto.

Os Rabelos fizeram, durante décadas, o transporte do famoso Vinho do Porto, entre a remota região vinhateira, e as caves, em Vila Nova de Gaia. Uma vez que não existiam ainda estradas nem caminho-de-ferro, as quintas produtoras tinham apenas o rio como forma de transportar os barris.

Nesta altura ainda não tinham sido também construídas barragens, pelo que o Rio Douro era muito traiçoeiro, com correntes rápidas que se tornavam mais perigosas nos estreitos e desfiladeiros. A tarefa de navegar exigia, assim, marinheiros experientes, que fizessem o precioso néctar chegar a bom porto.

 

Os Rabelos e o Turismo

Com a conclusão, em 1887, da linha de caminho-de-ferro do Douro e o desenvolvimento das comunicações rodoviárias durante o século XX, o tráfego fluvial assegurado pelos Barcos Rabelos entrou em declínio. Acredita-se que a última viagem destas embarcações, com vista ao transporte do Vinho do Porto, tenha ocorrido em 1964.

Nos dias de hoje, os mesmos Barcos Rabelos, com as devidas adaptações, transportam todos os anos milhões de turistas que visitam a região. A Douro Acima tem uma frota de seis Barcos Rabelos, todos em madeira e construídos manualmente com o propósito de dar a conhecer, mais de perto, as margens do Douro, quer entre as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia, quer na região vinhateira até Barca D'Alva.